Entenda o impacto da Lei Geral de Proteção de Dados para o empreendedor

Entenda o impacto da Lei Geral de Proteção de Dados para o empreendedor
baixar-ebook-8-vantagens-dos-escritorios-compartilhados-synergyco-bannerPowered by Rock Convert

Desde que a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) foi aprovada, em agosto de 2018, muitas coisas começaram a mudar. Essa nova regulamentação, ainda em fase de implementação, impacta diretamente o uso que você, empreendedor, faz das informações pessoais de seus consumidores. 

Esses materiais estão disponíveis em uma série de plataformas online, banco de dados e, inclusive, organizações para as quais muitas pessoas nem se lembram de ter se relacionado. Do mesmo modo, a sua empresa tem acesso ao conteúdo dos seus clientes, podendo utilizá-los para direcionar diversas estratégias de marketing.

No entanto, até a data de aprovação da lei, nada disso era regulamentado, o que significa que as instituições poderiam utilizar esse conteúdo da forma como desejassem. Por isso, é importante se atualizar quanto às mudanças.

Quer saber o que é e como funciona a nova regulamentação? Então continue a leitura e descubra mais sobre o assunto! 

O que é e como funciona a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)? 

Com a evolução das tecnologias e ferramentas de análise, as empresas passaram a utilizar, cada vez mais, as informações disponíveis sobre seus clientes para direcionar as suas estratégias. Porém, não foi apenas dessa forma que isso foi utilizado, hackers e instituições de comunicação também aproveitaram esse momento para acessar dados preciosos, gerar problemas ou manipular a população. 

Diante de escândalos nesse aspecto, surgiu a necessidade de criação de uma legislação específica para a proteção das informações da população brasileira, surgindo, assim, a LGPD. Ela fala sobre a forma como as organizações devem coletar elementos dos usuários e a maneira que devem utilizá-los. 

Além disso, ela traz direcionamentos relacionados à segurança das informações e aos procedimentos para garantir a transparência do seu destino. Aprovada em agosto de 2018, é vigente para todos que utilizam dados de cidadãos brasileiros. Entretanto, ainda não foi totalmente implementada e os empreendimentos têm até agosto de 2020 para se adequar às novas exigências. 

Quais são os principais impactos da LGPD para o empreendedor? 

Afinal, o que essa lei traz de novo para os empreendedores? Desde a sua aprovação, todas as práticas relacionadas a terceiros devem ser revisadas e ajustadas às novas exigências. Em primeiro lugar, a coleta deve ser transparente, informando ao usuário os objetivos com esse processo e o destino de toda a informação pessoal adquirida. 

Além disso, os gestores têm a responsabilidade de garantir sua segurança, utilizando tecnologias adequadas para evitar que elas caiam nas mãos de hackers ou outros órgãos. Caso isso aconteça, a pessoa que teve a sua privacidade roubada deve ser notificada o mais rápido possível e a instituição deve ser responsabilizada por esse acidente. 

O tipo de dado coletado também é importante, o que significa que aqueles categorizados como sensíveis, relacionados às práticas sexuais, cor e gênero, por exemplo, só devem ser recolhidos se isso for extremamente relevante para as atividades da corporação.

Ademais, o usuário precisa dar o consentimento para a utilização de suas informações e tem a liberdade de solicitar relatórios com as suas privacidades que a empresa tem posse, assim como pode pedir para que elas sejam deletadas permanentemente a qualquer momento. 

Como se preparar para a Lei Geral de Proteção de Dados? 

Como você pôde perceber, a LGPD exige uma série de modificações no processo de coleta e análise de dados dos clientes. O prazo estipulado para a adequação é de 24 meses desde a publicação do regulamento. Por isso, é importante começar a se preparar. 

aluguel coworking bhPowered by Rock Convert

A seguir, confira algumas dicas de ouro para adaptar o seu negócio às novas regras! 

Identifique os dados armazenados

Comece identificando quais aspectos você já tem sobre os seus clientes. A partir disso, organize-os de forma correta e busque aqueles que já têm o consentimento do usuário para a utilização. 

Invista na transparência 

Uma das palavras-chave da nova lei é transparência. Portanto, comece a implementar estratégias nesse sentido. Para isso, crie conteúdos que expliquem qual o destino e tipo de análise que você realiza com o que foi disponibilizados.

Além disso, sempre que solicitar dados de terceiros, apresente os seus objetivos com isso. Não se esqueça também de deixar claro que o usuário pode solicitar relatórios ou a exclusão desses materiais a qualquer momento e faça orientações de como realizar essas atividades. 

Solicite o consentimento 

Sempre que solicitar informações dos seus usuários, peça também o seu consentimento. Esse processo deve ser claro para todos os envolvidos e a autorização deve ser arquivada como garantia. 

Melhore a segurança da sua empresa

Assim como a empresa é responsável por tudo o que coleta, é sua a responsabilidade de garantir a segurança desses elementos, a fim de que eles não sejam utilizados por pessoas mal-intencionadas. Desse modo, faça todos os investimentos necessários para melhorar a sua segurança. Para isso, armazene-os em plataformas seguras e utilize um antivírus confiável. 

Crie uma política específica

É importante que você tenha diretrizes claras na empresa sobre a utilização das informações de terceiros e práticas a serem adotadas pelos colaboradores. Para cumprir esse objetivo, crie uma política de segurança das informações e faça a sua implementação. 

Ela deve conter uma descrição do tipo de dado que deve ser coletado e como funciona todo o processo. Os objetivos também devem ser explícitos, assim como o tipo de análise a ser realizada. 

Por fim, é preciso que a política ofereça uma diretriz para o comportamento dos colaboradores em relação a essas informações, principalmente no que se refere à segurança e garantia de uma postura ética. 

O acesso à tecnologia revolucionou a forma como as empresas atuam no mercado, embasando a tomada de decisão e a criação de estratégias organizacionais, produtos e serviços.

Contudo, o seu uso deve ser feito de forma segura, ética e transparente, de acordo com o que é previsto pela Lei Geral de Proteção de Dados. Desse modo, comece agora mesmo a adequar a sua empresa e esteja à frente do mercado.

Gostou deste post? Então aproveite para seguir a Synergyco nas redes sociais e fique sempre por dentro das nossas novidades! Estamos no Facebook e Linkedin!

8 vantagens dos escritórios compartilhados

Baixar ebook gratuito 8 vantagens do coworking

Guia prático para montar um plano de negócios eficiente


Siga-nos

Share This